Sponsor Advertisement

Labels

Ads 468x60px

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Justice League Vs Teen Titans - Reação Geek Azores

É sempre com grande entusiasmo que recebo a noticia de mais um filme de animação da DC, ainda para mais um como este - nostalgia quanto à Young Justice. Também é verdade que esta nova linha de filmes dos Novos 52 têm deixado um pouco a desejar. Adorar, adorar mesmo, adorei o Justice League War, os outros (a trilogia do Batman com Damian Wayne) foram razoáveis, e Justice League Throne of Atlantis foi - devo dizê-lo - mau. Mas o geral da animação DC (que é muito bom) deixa-me esperançoso que a maré vire, e este tem uma otima premissa: um VS (que está na moda em 2016) entre duas grandes equipas, discípulos contra mestres.
A Justice League é, para mim, a equipa mais forte de super-heróis superando X-Men e Avengers (do universo Marvel), não sou anti-Marvel, nem pró DC, sou só um fã de comics e Super-heróis, esta é só a minha opinião. Vai ser preciso um grande enredo inventivo para fazer os Titans conseguirem superar este desafio - espero. Damien Wayne, filho de Bruce Wayne, que ainda não me conquistou, pode agora criar uma otima dinâmica nos Titans, habituados, ao longos dos anos, a outro tipo de Robin.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

X-Files de volta. Valem a pena ver? - 2016

A série voltou: muita conspiração, um toque de paranormal e o característico suspense. A formula que conhecemos, uma formula vencedora, certo? Bem, é bom reencontrar aqueles personagens (velhos amigos), e é verdade que assim que a musica começa a nostalgia bate forte, mas enquanto eu não tenho duvidas que a série vá ter boas audiência, os X-Files tiveram um enorme impacto cultural no seu tempo e deram arranque ao estilo cinematográfico trazido para a Tv, eu não acredito que volte a dominar a programação, a tv evoluiu, num espaço onde agora temos colossos como Walking Dead ou Game of Thrones, os X-Files já não parecem ter peso para ficar nos lugares cimeiros.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Coleção Super-Heróis DC Levoir/Publico - UPDATE

Conhecemos finalmente, na integra, todos os volumes que vão fazer parte da coleção. Tenho de admitir que esmeraram-se, tem aqui volumes que são impossíveis de deixar passar, se é que se consegue deixar passar a coleção.
Eis o que a Levoir nos transmite:

- 1.-O primeiro volume da colecção será o aclamado Liga da Justiça: Origem,
uma brilhante história que narra o primeiro encontro dos super-heróis
que se vão transformar em Liga da Justiça dos Novos 52, com argumento
de Geoff Johns e desenho do fantástico Jim Lee.

-2.- A espectacular saga "Super-Homem contra o Mundo", com argumento do genial Grant Morrison e desenho de Rags Morales, que redefiniu o maior herói da DC na era moderna dos Novos 52.

-3 e 4.-A espectacular saga de Batman contra a Corte das Corujas, em dois volumes, ilustrados por Greg Capullo e com argumento de Scott Snyder, um dos mais brilhantes autores.
BATMAN: Corte das corujas- Batman #1-7 (2011)
BATMAN:Cidade das corujas-Batman #8-11 ( 2011 )

5.-A história que serviu de base à primeira temporada da série de TV Arrow, desenhada por Jock, um dos mais invulgares e talentosos artistas e com argumento de Andy Diggle.
artistas de BD americana ARQUEIRO VERDE: ano um-Green Arrow: Year One #1-6 ( 2007 )

6.-Teremos também um volume consagrado ao Aquaman, um dos super-heróis
que ainda não tinha sido contemplado com um livro em nenhuma das
colecções da Levoir e do Público: O Abismo, também com história de Geoff Johns e arte de Ivan Reis. Este livro recolocou o herói firmemente no centro do
Universo da DC.

7.- Super Homem-Batman-Antologia
Jeff Lemire, Karl Kerschl e Scott Hepburn

8.-Uma das obras-primas do grande Jack Kirby, a quem chamavam "King of Comics", "Quarto Mundo: Génese e Apokolips".

9.-LexLuthor - Preconceito e orgulho
Brian Azzarello
Lee Bermejo

10.-Legião dos Super-Heróis-Saga das trevas eternas
Paul Levitz
Keith Giffen
Larry Mahlstedt

11.- Flash e Lanterna Verde- O audaz e o destemido
MArk Waid; Barry Kitson; Tom Peyer; Tom Grindberg

12.-O Regresso do Joker
Argumento de Scott Snyder
Arte de Greg Capullo
Batman #13-17 (2012) e 8 páginas do Detective Comics #12 ( Tell Tale Face )

13.-Novos Titãs- O Contrato de Judas
Marw Wolfman
George Pérez

14.- Super-Homem & Mulher Maravilha- Par Perfeito
Charles Soule e Tony Daniel trazem-nos a primeira saga que junta o Super-Homem e a Mulher-Maravilha como duo de combatentes do crime e amantes!
"Par Perfeito" é o primeiro arco dessa história que surpreendeu os
leitores (e junta Superman/Wonder Woman #1-7 de 2013)!

15.-Esquadrão Suicida-Nós que vamos morrer
Como nem só dos melhores heróis do mundo vive a nossa colecção: temos
também um volume dedicado aos piores de todos os heróis, os vilões.
Um volume que nos mostra a primeira vez em que os vilões da DC foram
recrutados para as missões que mais ninguém queria, Esquadrão Suicida:
Nós que vamos morrer (com as histórias de Suicide Squad #1-3, #5-7, de
John Ostrander e Luke McDonnell), em preparação para o filme que sai
em Agosto.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Qual o melhor filme STAR WARS? 12 razões

As opiniões dividem-se maioritariamente entre o episódio IV (Uma Nova Esperança), porque foi o primeiro, o original, o que começou a historia, troce-nos algo que nunca existiu, e o episódio V (O Império Contra-Ataca) - o criticamente mais aclamado. Eu sou um dos felizes que viu a trilogia Star Wars ficar progressivamente melhor ao longo do tempo, por isso a minha escolha vai para o episódio VI (O Regresso do Jedi). Sim, existe alguma controvérsia sobre os Ewoks terem sido criados só para vender brinquedos (não confirmado), eu por mim gostei deles, acho que acrescentam mais a uma galáxia já rica em raças e personagens. A morte de Bobba Fett também não caiu bem, mas a mim, enquanto criança, ajudou-me a perceber que a morte pode acontecer em qualquer altura, é inesperada; algo que falta a muitos filmes, o efeito surpresa. 

Enumero então as minhas razões:

1) O Palácio de Jabba The Hutt, uma versão melhorada da cantina do episódio IV

2) O próprio Jabba, que nos é revelado (na versão original) só no Regresso do Jedi

3) Luke Skywalker como Jedi Night

4) O Rankor

5) O imperador, finalmente o vemos e não só num holograma

6) Ficamos a saber que Leia é irmã de Luke, filha de Darth Vader

7) A sequência incrível das Speeder Bikes

8) Uma Estrela da Morte maior

9) A melhor batalha espacial dos três filmes

10) O melhor duelo de lighsaber (o que estava em jogo nesse duelo)  

11) O confronto de pai contra filho

12) Vader é redimido

Por todas essas razões, Star Wars O Regresso do Jedi é o melhor filme Star Wars. É assim que o vejo e considero-me um sortudo por ver a trilogia só melhorar de filme para filme; esta é a minha opinião.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Batman Bad Blood - Critica, Geek Azores

Batman Bad Blood é o terceiro filme de um role de filmes que tem Batman e Robin (Damian Wayne) no centro (a relação pai e filho), foram filmes feitos para existir continuação. Eu aprecio muito a animação Dc, não perco um filme, e eu adoro Batman, é o meu super-herói preferido, mas esta trilogia foi, no máximo, razoável, por vezes má (o primeiro filme, principalmente). Tenho de dizer, no entanto, que este terceiro é talvez o meu preferido dos três, apesar de Batman desaparecer a maior parte do tempo, eles devolvem peso ao personagem. Nos outros filmes, Batman foi quase um personagem secundário, quase o ajudante de Robin - sob sua sombra -, não houve também muita consistência nas habilidades de cada um; aqui, pelo menos, fazem de Robin o ajudante e dão a Batman uma grande aura, a cidade sente a sua falta, e Nightwing, por muito habilidoso que seja, não está ao nível de excelência do homem morcego. Em Bad Blood também entram Batwoman e Batwing, num contexto de família, eu preferia ver Red hood, Batgirl e, quem sabe, também Tim Drake (Redrobin), mas eu compreendo que tomaram a liberdade de mostrar diferentes personagens que, de alguma forma, também fazem parte da família morcego.
Não é de agora, a animação DC é muito boa, otimas adaptações dos comics, só espero que esta trilogia sirva para criar mais e melhor, que os padrões não passem daqui para baixo, que só melhorem.

Nota: 6/10

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Suicide Squad - Novo Trailer - Reação Geek Azores

Como é bom ser fã de super-heróis, ser um geek, o dia melhora consideravelmente com apenas dois ou três minutos. Para um geek um trailer tem três fases: a antecipação (fica-se em pulgas por o ver), o visionamento (o abrir da prenda, é Natal), e o pós trailer (fantasiar com o que vai acontecer, criar respostas às perguntas que se levantam). Nós geeks somos obcecados, chatos mesmo, nós queremos respostas e reviramos pedras enormes, se for preciso, para as ter; numa era tecnológica, nós vasculhamos a net procurando nos identificarmos com outros sobre o nosso fandom e, ao mesmo tempo, esprememos tudo o que conseguimos para satisfazer a nossa curiosidade.
Mas agora ao trailer: adorei. Gostei da musica, das piadas, da Harley Quinn, do Captain Boomerang (foi talvez o melhor do trailer), do aspecto em geral do filme que combina muito bem o grotesco com o excepcionalmente bonito. Do Joker não vimos assim muito, tem alturas que existe uma fusão com o antigo, mais gangster Joker, o que é bom - novo e velho.
Este é, a par de Batman V Superman, o filme que mais estou entusiasmado em ver para 2016.


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Posters dos filmes da DC Comics

2016: um ano bom para ser fã de filmes e comics.

Poster  de Suicide Squad
Poster de Dawn of Justice

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Fantastic 4 - Não é assim tão mau. Estarei doente?

Finalmente vi o infame: Fastastic Four (2015), filme tornado vilão pelos fãs de comics, nomeado para pior filme do ano. E o que é que eu achei? Não é assim tão mau, é normal, vê-se. Surpreendido com a minha reação eu procurei respostas:

A) Com base nas más criticas, fui adiando ver o filme, quando finalmente o vi as minhas expectativas estavam mesmo em baixo, tudo o que viesse, a partir daí, só podia ser bom.
B) O filme teve pesadas e excessivas criticas por parte dos fãs. Não sou assim grande fã dos Fantastic Four - não me deixei afectar?
C) O filme, mesmo antes de sair, já era atacado, as pessoas já estavam predispostas a não gostar, fosse o que fosse.
D) O filme foi realmente horrível e eu tenho é mau gosto.

Reconheço que não é um grande filme, mas também está longe de ser o pior que já vi, a sério. Gostei do suspense de ficção cientifica, fez lembrar Alien. Gostei da nova historia de origem da equipa - viajar para outra dimensão, invés do espaço. Gostei da voz de Dr Doom e, infelizmente, foi só disso que gostei do vilão, o seu visual estava atroz, aí tenho de dar a mão à palmatoria.
Se eu puser numa balança Fastastic Four e os filmes Gost Rider (os dois) eu prefiro Fantastic Four. Se puser na balança com o primeiro Hulk realizado por Ang Lee, eu prefiro Fantastic Four. Não é o melhor filme de SuperHerois, mas também não é o pior.


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

10 Cloverfield Lane: a bem merecida sequela de Cloverfield

Para quem não conhece, Cloverfield é um filme de "found footage" combinado com o estilo blockbuster. Recria o ataque de um monstro, tipo Goodzila, a New York num estilo mais realista - alguém, um personagem, a segurar a câmara.
O filme teve criticas mistas, uns adoraram, outros odiaram porque o fim foi talvez algo vago e porque não gostaram da maneira como foi filmado, eu pessoalmente, apesar de não ser fã de found footage, gostei muito do filme, tenho-o na minha colecção. Todos já vimos invasões extra-terrestres, ataques de monstros, mas Cloverfield adotou uma abordagem, que a meu ver, foi mais realista, gosto de ver grandes eventos a acontecer pelos olhos das personagens.
Sempre tive esperança de ver uma sequela, e agora - finalmente - vou ter. Ao que parece foi tudo criado em segredo, o que nos dias de hoje não é fácil. Venha de lá o filme.


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Levoir e Publico - nova colecção DC Comics

Então, eu abro o facebook e levo uma estalada de boas noticias: a Levoir vai fazer o lançamento de uma nova colecção da DC comics; melhor, vai lançar títulos como: "Batman, o regresso de Joker" (tenho uma versão digital traduzida para português/brasil, o que não é a mesma coisa) e "Batman a corte das corujas" - finalmente - o que para um fanboy de Batman, como sou, é espectacular e algo que tem de se comprar obrigatoriamente. Em cima disso ainda vão lançar outros pesos pesados, mas deixo a Levoir vos dizer abaixo:

"A nova colecção Super-Heróis DC do jornal Público e da Levoir sairá nos
quiosques no dia 4 de Fevereiro. São 15 livros em capa dura, edição de coleccionador, com a qualidade das nossas colecções e o seu preço será de 9,90€ por volume.

Anunciamos mais um dos nossos livros.

-O Regresso do Joker
Argumento de Scott Snyder
Arte de Greg Capullo
Batman #13-17 (2012) e 8 páginas do Detective Comics #12 ( Tell Tale Face )

Os outros títulos já anunciados:

-O primeiro volume da colecção será o aclamado Liga da Justiça: Origem,
uma brilhante história que narra o primeiro encontro dos super-heróis
que se vão transformar em Liga da Justiça dos Novos 52, com argumento
de Geoff Johns e desenho do fantástico Jim Lee.

-Teremos também um volume consagrado ao Aquaman, um dos super-heróis
que ainda não tinha sido contemplado com um livro em nenhuma das
colecções da Levoir e do Público: O Abismo, também com história de Geoff Johns e arte de Ivan Reis. Este livro recolocou o herói firmemente no centro do
Universo da DC.

- A espectacular saga de Batman contra a Corte das Corujas, em dois volumes, ilustrados por Greg Capullo e com argumento de Scott Snyder, um dos mais brilhantes autores.
BATMAN: Corte das corujas- Batman #1-7 (2011)
BATMAN:Cidade das corujas-Batman #8-11 ( 2011 )

- A história que serviu de base à primeira temporada da série de TV Arrow, desenhada por Jock, um dos mais invulgares e talentosos artistas e com argumento de Andy Diggle.
artistas de BD americana ARQUEIRO VERDE: ano um-Green Arrow: Year One #1-6 ( 2007 )

- A espectacular saga "Super-Homem contra o Mundo", com argumento do genial Grant Morrison e desenho de Rags Morales, que redefiniu o maior herói da DC na era moderna dos Novos 52.

-Uma das obras-primas do grande Jack Kirby, a quem chamavam "King of Comics", "Quarto Mundo: Génese e Apokolips"."

domingo, 10 de janeiro de 2016

Geek Azores top 5 filmes de 2015

Eu adoro cinema, para mim é a derradeira forma de escape à realidade.
2015 em comparação com 2014 foi um ano menos forte em cinema, o ano passado tivemos o maravilhoso Birdman, NightCrawler, Wiplash e a lista continua. Este ano não tive nenhum filme que me desse aquele murro no estômago, me tirasse a respiração com o que a sétima arte oferece, ainda assim tivemos filmes cheios de entretenimento e bem trabalhados. Esta minha lista não é necessariamente dos filmes mais bem feitos tecnicamente, mas aqueles que mais impressionaram a parte fã e a minha parte critica em junção.
Vamos a isso:


#5 The Martian Um astronauta encalhado em Marte: Castaway no espaço. Um filme muito bonito, que mostra uma paisagem vasta de Marte, uma excelente interpretação de Matt Damon, muito bem realizado, um enredo inteligente. Um filme que, por vezes, não dá mais entretenimento para além da sua beleza.

#4 InsideOut Uma animação que mostra como as emoções nos controlam. Um filme que já esperava ser bom, pelas criticas, mas que mesmo assim me surpreendeu, tocou-me e fez-me sentir, lá está: ter emoção, um filme que vi várias vezes com a minha filha e todas as vezes descubro algo diferente. Talvez a melhor animação da Pixar. Adorei, adorei mesmo.

#3 Star Wars The Force Awakens A luta do bem contra o mal, uma guerra numa galáxia bem longínqua. Star Wars tinha de estar na minha lista fosse o que fosse, sou um grande fã e tocou na nostalgia. Um filme divertido, cheio de aventura, e adorei as personagens. A razão por não estar mais acima na minha lista é porque baseou-se demasiado em enredo já existente, quase que foi um remake invés de uma sequela, e a razão por não estar mais abaixo na minha lista é que reavivou a criança dentro de mim.

#2 Kingsman Um James Bond actualizado e extremamente divertido. Quem diria que existia uma abordagem nova de pegar no género espião, mas Kingsman conseguiu arranjar uma. Acção do melhor que já se viu no cinema, um enredo cheio de piadas, muito bem realizado.

#1 Ex Machina Um filme perturbador sobre inteligência artificial, faz-nos pensar. Esta é a razão porque gosto de cinema, surpreendeu-me, excelentes actuações, as melhores, a meu ver, de 2015, um excelente enredo muito inteligente. Um filme, no geral, bem executado. Entretém-nos, entreganos pensamentos profundos e saímos do cinema a remoer a cabeça sobre o que se passou.



sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Teaser de Daredevil temporada 2 - vamos a isso

Se este video tivesse trailer no título eu estaria imensamente desapontado, mas como um teaser,cujo intuito é nos molhar o bico e fazer salivar por mais, o vídeo consegue-o na perfeição.






As Crónias de Shannara, valem a pena ver? - estreia

Já estrearam as Crónicas de Shanarra e tenho de dizer que fui um dos felizardos que já viu. Não conheço os livros, mas posso falar da série (primeiros dois episódios), fiquei impressionado com a dimensão e CGI usado. Existe uma diferença de qualidade de produção que orçamentos maiores dos filmes conseguem em relação a tv, mas em Crónicas de Shannara essa distância encurta-se bastante. Esse também é o meu maior receio, que tenham apostado grande na estreia e que agora a série tenha de se conter, que pareça, com o avançar dos episódios, algo completamente diferente.
Shanara é um mundo rico em personagens e cosmologia, muito ao estilo de Warcraft. O mundo apesar de parecer ancestral dá indícios também de se tratar de um futuro, vemos veículos que fazem lembrar carros e antenas gigantes (será o nosso mundo no futuro?).
Outra pequena critica vai para o vilão, tem um visual excelente mas tirado de um orc de Senhor dos Aneis, o que o torna menos imponente, a meu ver, já que na Terra Média víamos aquele mesmo visual ser usado por meros soldados orcs. As personagens estiveram bem, gosto da importância na historia de personagens femininas, e Manu Bennett (com Spartacus e Arrow já como experiência) esteve excelente aqui.
Dito tudo isto, a estreia fez a sua função - fisgou-me -, vou continuar a ver a série esperançoso que seja o meu novo escape à realidade.


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Geeks portuguêses: sem medo de serem geeks

Moullinex: sinónimo de grande talento e otima musica, despem-se das máscaras sociais e vestem os trajes Star Wars para um grande tributo. Sem medo dão aos fãs exactamente o que precisam - boa disposição.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Kylo Ren é fraco?

A geekness sobe de nível quando eu tento responder à pergunta: Kylo Ren é fraco?
O novo vilão de Star Wars tem recebido o seu punhado de criticas, apesar de também ser o preferido de muitos fãs que dizem que é um vilão mais complexo de toda a saga (reservo esta opinião para quando vir o resto da trilogia). Numa galáxia onde existiu Darth Vader, Darth Maul e Darth Tyranus, Kylo Ren não está a ser visto como uma versão mais fraca. Bem, isso pode ser, mas será assim tão fraco?
Nos pontos abaixo dou a minha opinião:

1) Darth Vader era mais forte. Bem, em comparação com o Kylo Ren de The Force Awakens sim duh, Kylo Ren não é fraco, mas também não é um sith lord, onde só os mais fortes dos mais fortes do lado negro o são, a regra dos dois assim o exige (um para ter o poder e outro para o cobiçar), por amor de Deus, todo o objectivo da regra dos dois passa pelo aluno se tornar mais forte que o mestre e eventualmente o matar; selecção natural levada a extremos. Ele é no máximo um dark jedi, sem treino sith.

2) Foi vencido por dois novatos sem experiência. Fin não é um novato, é um stromtrooper com treino deste criança, e ainda mostrou as suas habilidades na luta contra um antigo irmão de armas, e venceu. E Rey mostrou ser uma guerreira bem capaz ao longo de todo o filme, é forte e não precisa de ninguém para lhe segurar a mão.

3) Como pode Rey ter ficado tão forte em tão pouco tempo quando Luke Skywalker teve, pelo menos, treino Jedi. A força trabalha de formas misteriosas. Luke Skywalker também só teve um dia e qualquer coisa com Obi-wan, e passou uns dias com Yoda, mal se pode chamar um treino, foi ao menos não convencional. Nas prequelas os jedis treinavam de tenra idade, treino que se alongava até depois da vida adulta.

4) Foi vencido facilmente. A esta afirmação eu digo: ele foi atingido com a arma de Chewbacka, que até ali tinha feito enormes estragos, e aguentou-se nos pés, mais, lutou ferido com o lado negro a inflamar-lhe. Kylo Ren também não tinha completado os seus ensinamentos do lado Negro, o supremo líder Snoke o diz no fim do filme.



Tiago Dutra

A minha foto

Quantas vezes ouvi: "Já não tens idade para isso". E enquanto me tentava encaixar no que julgavam certo, largava o que era certo para mim, uma luz foi-se extinguindo. Foi só quando me aceitei por quem sou: um geek, que abracei a imaturidade dentro do meu corpo já adulto, é que me permiti ficar mais solto, ganhar liberdade, ser mais feliz. 
Eu gosto de comics, adoro cinema, aprecio arte de fantasia, adoro escrever, primeira paixão foi a TV, ainda vejo animação, gosto de historia: meus escapes. 
Ser geek não é usar óculos e ser franzino, esse é o estereotipo, ser geek é viver com paixão aquilo que gostamos; podemos todos ser geeks. 
Dar asas à minha imaginação e criatividade, ser eu mesmo,permitiu-me realizar sonhos: publiquei o livro “Terra Antiga o Duelo”; participei no livro “Contos ao Vento”. Minha primeira experiência na blogosfera: pensamento-indescoberto. Entrei nos Workshops de Pedro Chagas Freitas; tenho também um canal no youtube com o mesmo nome que este blogue.
Posso estar a envelhecer, mas enquanto me deixar ser imaturo, posso também, de uma maneira, ser jovem para sempre.

Geek Azores youtube (videos pessoais geek)
Geek azores blog (assuntos geek, escapes À realidade))