Sponsor Advertisement

Labels

Ads 468x60px

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Prendas de Natal - Geek Azores

 Olá, geeks por todo o lado. Desta vez quero vos mostrar  algumas prendinhas que me lembraram que eu sou mesmo um homem acriançado (e daí? adoro). Então, depois do jantar eu e a minha família fomos abrir as ofertas, e entre coisas das quais estou muito agradecido, eu recebi uma action figure do Finn ainda no seu fato de storm trooper e figurines de The Force Awakens (entre elas, Rey, que eu já estava desejoso ter); como é optimo ainda receber brinquedos quando já adulto.
E aos perfeccionistas que vão pensar que eu não os devia tirar da caixa, poupem-me, não consigo fazer isso, tenho de os tocar, ver de todos os ângulos, sentir-lhes o peso.


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Carrie Fisher (princesa Leia) morreu.

Saudações tristes, geeks por esse mundo fora. Então, estava eu mais uma vez a tentar escrever um post o meu Natal quando senti uma perturbação na Força: Carrie Fisher faleceu. A morte de uma celebridade é às vezes sentida como a de um amigo chegado, isso porque, no caso de Carrie, ela teve um impacto profundo enquanto eu era criança, ajudou a moldar-me num fã de Star Wars, e por isso eu estou absolutamente agradecido; o meu muito obrigado, princesa Leia, e que a Força esteja contigo. Como Yoda uma vez disse: "A morte é uma parte natural da vida. Rejubilem com aqueles à sua volta que se transformaram na Força." 
Deixo-vos abaixo uma das minhas cenas preferidas do seu eterno papel:


domingo, 25 de dezembro de 2016

Alien Covenant Trailer - Comentário Geek Azores

Então, Feliz Natal, geeks por esse mundo fora. Estava eu aqui pronto para vos mostrar umas prendinhas que deliciaram a criança dentro de mim, quando vejo que saiu o trailer de Alien Covenant - se calhar existe mesmo um Pai Natal. Obrigado senhor Ridley Scott.
Ao trailer: ele abre com uma cena  muito reminiscente do primeiro Alien, muito claustrofóbico, e até, muito levado ao terror - surpreendeu-me e gostei. Sejamos sinceros, Alien tem de voltar às suas origens, fazer-nos suster a respiração quando a qualquer momento um xenomorfo pode sair das sombras. Estes filmes nunca foram sobre o "mosntro", mas sobre os intervalos em que ele pode aparecer - o suspense.
Passando para o resto do trailer, a escala é-nos ampliada, lindas paisagens e depois o estúpido: cientistas ou uma tripulação que navega pelo espaço e devia saber o óbvio, não se explora um novo planeta sem fatos protectores. A mesma tripulação que vê uma nave alienígena despenhada e decide investigar (quê?!). Então, tanto quanto sabem, não existe vida extra-terrestre, e o instinto é ir investigar? Quando é que o bom senso e receio é sobreposto pela curiosidade? Talvez não teríamos filme se assim fosse, ou talvez teríamos um com um enredo melhor.
Por ultimo, o trailer comete o maior dos erros, mostra demais, quem morre ou é infectado, tinha passado bem sem isso. Se não sabem criar suspense num trailer, o que dizer do filme.
Em suma, este video não me fez ficar mais empolgado e levantou-me sérias duvidas, mas ainda estou esperançoso.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Assasins Creed - Criticas Online

O muito esperado filme para os gamers está aqui. Será que a maldição da adaptação de video jogos para o cinema se mantém? 
Assassin´s Creed é um jogo, ou jogos, super popular à já alguns anos, a premissa é boa, seguir um assassino altamente qualificado num tempo pós idade média (mais ou menos por aí) com acção, acrobacias e paisagens espectaculares.
Este é um apanhado das criticas da Internet:

O Positivo

- Tudo o que acontece no passado, acção, cenários. É um período que se torna ainda mais cativante com estes assassinos.


O Negativo 

- O filme passa maioritariamente no presente, bem menos interessante; bem menos

- A edição que, na acção, salta entre os dois tempos torna-nos menos investidos no filme.

- A historia que tem um problema em se tornar plausível.


Em suma: se existe mesmo uma maldição sobre os video jogos, este não a quebra 


(fontes: Jeremy Janhs; Collider Videos; Shmoesknow)

domingo, 18 de dezembro de 2016

Rogue One - Critica, Geek Azores

Este, ao lado de Batman V Superman, era o meu filme mais antecipado de todo o ano. Como ainda existem muitas pessoas que não o viram, vou manter isto sem spoilers.
Vi-o no dia 15 (não pude esperar), Rogue One é o primeiro filme que foge à saga episódica principal - se não contarmos com "Star Wars: The Clone Wars" e "The Ewok Adenture", e é melhor mesmo não contar, se é que me entendem. Sente-se que o filme é diferente, aqueles habituados às séries de animação podem não notar tanto, lá é recorrente haverem historias com personagens secundárias, mas aqui sente-se, para os mais atentos, que há um tom diferente, é menos animador, positivo, brincalhão até (apesar de haver humor), e claro, não vemos tanto o lado espiritual da Força, embora seja mencionada.
Este é um filme muito lindo, tem uma cinematografia deslumbrante, as paisagens, o espaço, até na maneira como algumas personagens são apresentadas. Há ainda, como em The Force Awakens, um esforço para fazer este universo muito realista, é tudo muito sujo, há poeira no ar, as pessoas têm os anos nas costas, e essa é uma das razões que me fez adorar a trilogia original, e não tanto as "prequelas". Falando em "prequelas", esta é a melhor; aliás, ela encaixa tão bem com o episódio IV que quase parece um único filme, esse é seu ponto forte, por incrível que pareça, Rogue One melhora a experiência do Episódio IV; é extraordinário que conseguiram isso.
A historia não é particularmente o seu forte, serve o seu propósito, oferece é pequenos pormenores que para os fãs vão fazer toda a diferença. Este é, sem sombra de duvidas, o filme com a melhor acção de todos os filmes Star Wars, e isso é dizer muito.
O menos bom: as personagens, gostamos delas, mas não estão ao nível de um Han Solo ou Leia, nem dos mais recentes, Rey ou Finn. O filme podia e devia ter feito mais uso de Darth Vader, quando temos um dos melhores vilões do cinema ao nosso dispor, devíamos fazer mais uso dele, as suas cenas, principalmente uma, foi sem sombra de duvidas o melhor de Rogue One.
E agora o mau - muito mau mesmo - pelo menos para mim, tirou-me do filme, as caras CGI; desculpem-me, mas a tecnologia ainda não chegou lá, foi demasiado evidente que aquilo era CGI e distraiu-me tanto que quase estragou a minha experiência a ver este filme. Eu sei que para outras pessoas isto não lhes incomodou tanto, mas para mim foi como olhar para o Sol; deviam-nos ter mantido nas sombras, ser ardilosos na maneira de os mostrar invés dos close-ups.
No geral: temos uma historia adequada que encaixa bem na saga, mais que isso, ela, incrivelmente, melhora a experiência do Episódio IV - um marco na historia do cinema. Temos a melhor acção de todos os filmes Star Wars. Personagens que embora não sejam de um nível estrelar como já nos habituamos, são bastante boas, principalmente o novo droid. Foi pena não ter visto mais Darth Vader, e foi infeliz terem tentado fazer as caras de um personagem em CGI, a segunda até não me incomodou tanto, mas a primeira foi horrorosa.

Nota: 8/10

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Pit Gadget - a loja que nos faltava

Temos lojas paras adultos e temos certamente lojas para crianças, o que nos faltava aqui nos Açores era uma loja para alimentar a criança dentro do adulto.
Pit Gadget situa-se na Rua Do Galo em Angra do Heroísmo, mas está aberta não só para todas as ilhas como também para todo o mundo (através da sua plataforma online AQUI).
Eu, um confesso geek, tenho de vos dizer que foi um completo regalo para os olhos poder ver de perto toda a bonecada que têm, mas mais importante, a loja toca-nos naquele nervo certo: nostalgia.
Gente super simpática  a servir-nos, bom ambiente. Recomendo a lá irem; raios, eu quero lá voltar.
Com o florescer desta nova Era geek, com todos os filmes da Marvel, o retorno de Star Wars, a ainda pojante Star Trek, gamers, nós e população em geral, precisávamos de uma loja assim; por isso, se algum dos meus conhecidos estiver a ler isto, ainda estão a tempo de irem lá comprar-me a oferta de Natal.

Conheçam mais da loja na sua página de Facebook AQUI.


terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Rogue One - criticas online


Rogue OneOlá, família geek. O tão muito aguardado regresso à galáxia de Star Wars está à porta, e com ele as criticas online; sim, já  fluem pela internet. Vamos então ver quais são (no fim de semana, ou talvez sexta feira eu coloco aqui o meu comentário do filme, que é quando o vou ver, estas são, por agora, as criticas online, um apanhado):  

O Positivo: 
- Um terceiro acto muito forte, quer a nível de acção quer a nível emocional, que promete deliciar os fãs.

- As actuações estiveram bem, destaca-se a de K-2SO e Chirrut Îmwe

- O filme consegue uma identidade própria e mesmo assim fazer parte da galáxia que já conhecemos.

- CGI e efeitos práticos, como esperado, do melhor nível.




O Negativo:
- Um primeiro e segundo acto que se desenvolvem devagar.

- Uma pouco evoluída caracterização das personagens, fora uma ou duas das principais. 



- E finalmente, a maior das criticas (ao meu ver) vai para o pouco uso de Darth Vader. Se, se pode usar um dos maiores vilões da historia do cinema, porquê guardá-lo?

                

(Fontes: Jeremy Janhs; Chris Stuckmann; Shmoesknow)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Trailers Spider-Man & War for The Planet of The Apes - Comentário


Sim, eu vi-o umas doze vezes (o do Spider-Man), e sim, tem sido por falta de tempo que não vim aqui mais cedo. Que semana de trailers, o de Baywatch incluído (fui adolescente nos anos noventa, há aqui um factor de interesse), e ainda Planet of The Apes. Cada vez mais os trailers de filmes que estamos entusiasmados em ver têm sido um raiozinho de sol que nos entra dia adentro - adoro.
Seguindo em frente, com o de Spiderman, há que lhe dar prioridade; o trailer abre com talvez a minha cena preferida, bandidos com as máscaras dos Avengers e uma cena simples e no entanto com um pequeno extra de novo que nos faz adorar estes filmes. O trailer depois contínua com um tom que adorei (a musica), não se leva muito a sério e no entanto é uma reintrodução à personagem, com a integração no já populoso universo cinematográfico da Marvel; numa palavra: excelente. O Spiderman tem sido constante no meu top três de super-heróis, e este pode bem vir a ser a minha interpretação preferida; basicamente, queremos o humor sarcástico do personagem, a sua forma única de lutar e queremos isso levado a extremos, porque é assim que o personagem é. Pequeno bónus: as "asas" de teia, lembro-me bem delas nos comics, e claro, grande e gordo bónus: Tony Stark/Iron Man.
Em War for the Planet Of The Apes a grande adição foi Woody Harrelson, um actor multifacetado que a meu ver fará um excelente vilão aqui. Há um genuíno interesse em ver a continuação, a evolução desta luta pela supremacia do planeta (sim, com um final que já todos conhecemos). A ser este um grande filme, teremos uma otima trilogia em mãos; se bem que acho que não ficaremos por aqui, os Franchises parecem ter agora um infinito "to be continued...".



segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

The Mummy trailer - Comentário


Mummy
Então, o primeiro vislumbre do universo partilhado de monstros (Múmia, Drácula, Jakyll and Mr. Hyde, etc) está aqui, e com Tom Cruise como figura central neste primeiro filme. 
Vou ser sincero, não vai ser fácil descolar do Filme a Múmia com Brandan Fraser de 1999, um dos melhores, se não mesmo o melhor - talvez - filme de aventura deste a trilogia de Indiana Jones.
Ao teaser: vemos logo ao principio uma unidade das forças armadas a levar um sarcófago, o que me leva a crer que já têm uma noção do que podem ter lá dentro, quer dizer, meros artefactos arqueológicos não iam precisar de escolta militar, digo eu. A acção no avião é muito apelativa aos olhos, mas pessoalmente tinha preferido ver um pouco menos, estes trailers de hoje em dia mostram demais. Logo a seguir vemos a personagem de Cruise erguer-se numa morgue (existe ali um elemento sobrenatural?).
O teaser fisgou-me, mas ainda não me pescou, por assim dizer. É um filme que vou decididamente ver, só não sei ainda se na sala de cinema. 

domingo, 4 de dezembro de 2016

Trailer Guardians of the Galaxy VOL. 2 - COMENTÁRIO

GalaxyE estão de volta. A aventura espacial da Marvel dá-nos, como prenda pré Natal, o novo trailer, e eu estou entusiasmadissimo. Já vi o umas seis vezes; e não vou ficar por aqui. 
Se ainda não adivinharam, eu adorei o primeiro filme, tudo bateu certo, musica, acção, humor; no fundo, quando o vi, pensei logo em como queria que o episódio sete de Star Wars (que ainda não tinha saído) fosse ao mesmo nível. 
Mais do que um filme de super heróis, que na verdade até não é assim tanto, é mais uma aventura de ficção cientifica, e é isso que o torna único, ficção cientifica é  um género que já  não está a ser muito usado, e cá por mim, é sempre bem vindo. 
Ao trailer: o video abre com uma enorme - literalmente - ameaça alienígena, em que Drax e Gamora se atiram a ele. Temos um tema musical psicadélico que resulta aqui; aliás, musica é um ponto forte em Guardians. O humor está no ponto, a interacção de Baby Groot e Rocket é hilariante (quero dar-lhes um abraço, embora acho que no caso de Rocket eu levaria um tiro na testa). Os visuais estão excelentes - muita cor. E por ultimo, Dave Batista encontrou o papel da sua vida, ele encaixa tão bem no brutamontes que é Drax. 
Quero o filme agora!


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Villain Pub The Boss Battle - Opinião - Geek Azores

Então, desviando-me do cinema, quero partilhar com vocês um dos meus canais preferidos do youtube: How It should Have Ended. Desta vez servem-nos com um dos melhores vídeos que já criaram, feito, parece-me, propositadamente para mim e outros da minha espécie: fanboys do Batman.
A historia toma lugar no pub dos vilões onde o Batman faz um raide.
Nós, fãs do Batman, estamos perfeitamente cientes dos limites do personagem e como é fácil lhe apontar as lacunas que se limitam a encher com: "porque eu sou o Batman". Isso não nos impede de nos divertirmos à brava com um video destes e adorar o personagem ao mesmo tempo. Força Batman.

domingo, 20 de novembro de 2016

Fantastic Beasts and Where to Find Them - CRITICAS ONLINE - Geek Azores

O regresso ao mundo de Harry Potter
As criticas já rolam, ainda não o vi, mas já bisbilhotei como sempre. E o que andam a dizer na net é:

Positivo:

- Bem, o regresso a este mundo mágico. Este é um mundo onde nós como fãs ou meros espectadores de cinema íamos gostar de viver, ou no mínimo visitar. É cativante.

- As criaturas, as suas diferentes formas e "perssonalidades", por assim dizer, a imaginação e criatividade.

-O filme não depende dos seus predecessores para o seu sucesso. Não são necessárias referencias para se aguentar por si só.

- JK Rowling por conseguir, com aparente sucesso, fazer a transição de autora de livros para argumentista, algo que nem todos conseguem.

- Dan Fogler, num elenco que esteve bem, destaca-se de todos os outros.


Negativo:

- Pode parecer, por momentos, como dois filmes num. Por um lado quer lançar um franchise e falar sobre um assunto mais sério, por outro temos o correr atrás das criaturas que escaparam e um tom mais leve. Um trás para a frente que o torna irregular.


Em suma: parece, com o positivo, que vamos ter mais uma avalanche de filmes do mundo de Harry Potter


(fontes: Black Nerd; Chris Stuckmann; Beyond the trailer; Jeremy Janhs)

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Arrival - criticas online - Geek Azores

Finalmente, ficção cientifica que não precisa do adereço: filme de super heróis.
Estas são as criticas online que circulam por aí (um apanhado): 


O Positivo:

- Um dos melhores, se não mesmo o melhor filme de invasão de aliens; sim, é assim tão bom (segundo alguns).

- Tenta fugir à formula, dar-nos algo novo dentro do que já existe.

- Um final que nos faz pensar.


O Negativo:

- Um filme que "arde" lentamente, não é para aquele publico que gosta de acção, coisas sempre a acontecer, uma invasão em que somos nós contra eles - guerra.

Em suma: Um filme mais que bem vindo (para quem o apreciar), uma abordagem diferente.

(Fontes: Chris Stukman; Jeremy Janhs)

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Bela e o Monstro, Trailer - Geek Azores - Opinião.

Incrivelmente bonito, previsível, mas incrivelmente bonito.
Mais e mais as adaptações para acção real, moda que a Disney quer continuar, se colam aos filmes de animação. E o mal nisso? Se não está  partido, não arranjem. As imagens são tão arrebatadoras que até rendem o coração de um homem de trinta e cinco anos como eu.
Depois de Jungle Book a fasquia subiu, queremos, esperamos, o melhor da Disney - marca que é sinónimo de alegria.





terça-feira, 8 de novembro de 2016

Entrevista a fã de Walking Dead - Márcia Costa.

Numa conversa boa com a Márcia, apanho a onda de popularidade de Walking Dead e o resultado é o abaixo. Dou-vos a conhecer, neste espaço que é de outros geeks, o porquê dela, uma voz entre milhões, gostar tanto do que é uma das melhores séries da actualidade.

Quando começaste a seguir o Walking Dead? E o que faz, para ti, a série se distinguir das outras?
Foi por acaso que tropecei na sic. Estava a trabalhar e andava sempre à procura de coisas para ver quando parava. Já gosto de séries à muito. No princípio vi um episódio atrás do outro quando ia trabalhar.
Na altura não gostava de nada com Zombies porque tudo o que faziam era uma porcaria, mas eu tava a gostar daquilo. Vi a primeira temporada toda e deixou de dar na sic, fiquei: mais uma série que dão e não há continuação. O que me fez gostar do WD foi talvez uma tolice, mas normalmente no que há feito sobre Zombies é que os põem inteligentes. Não gosto. Quase são mais espertos que os humanos, e depois é aquele terror barato. Aqui é um vírus praticamente, em que os humanos tem de se proteger mas não são mais burros que os walkers. É uma série inteligente e a história envolveu-me

Se tivesses num apocalipse Zombie, o que era imprescindível: água, transporte, ou um machado?
São os três imprescindíveis, mas se tivesse que escolher, se não tivesse tempo de pensar, era o machado, ia-me sentir protegida, ou pelo menos sabia que me podia defender. Se tivesse tempo de pensar: água. Pelo caminho arranjava algo para me defender. Mas isso aí já tinha que ter jogado muitos jogos de sobrevivência primeiro.

Qual a tua personagem preferida, morta ou viva?
Essa é difícil. Até agora só não gostei da Lori. Todos acabam por evoluir de uma forma especial. Talvez o Hershel.

Muitos fãs dizem isso. Porque será (não Gostar da Lori)?
Acho que foi a forma como lidou com o Shane. Na altura pensei: fez merda e agora tá a voltar o Rick contra o seu melhor amigo. Mas já vi alguns bocadinhos de episódios antigos e não foi só isso. Vi também as coisas de outra perspectiva, achava-se uma líder por ser a mulher do Rick, parecia muito dura, mas ao fim ao cabo queria era continuar uma dona de casa. Tinha noção do perigo, mas saía e deixava o Carl à conta dos outros. Aliás, era parecido com aquele livro: “Onde está o Wally” (Carl). Eu não fazia isso, não ia querer perder os meus filhos de vista, podia nunca mais os ver. Na primeira temporada, quando tudo começou, o grupo mal se conhecia. Uma bitch.

O que estás a achar da direção desta nova temporada? Para onde vês isto ir?
No primeiro episódio o que concluí foi que vão passar por um mau bocado. De certeza pior do que aquilo que já passaram até agora. Mas vão safar-se. Vamos perder mais alguém, mas vamos ganhar outros. E outros como a Maggie vão evoluir de uma maneira espetacular. Estou com altas espectativas em relação a ela. Vejo o grupo de Ezekiel, Hiltop e Alexandria a apoiar-se no combate ao Negan.

Quais os mais assustadores, Zombies ou humanos?
Sem dúvida os humanos. E então com a ideia da Michone de andar om dois atrelados. Ou então suja a roupa com a porcaria deles, já não me faz impressão, mas no princípio só pensava nos respingos quando os matavam. E no cheiro, só dizia: o cheiro que deve tar ali. Vomitava-me toda.
E quando Walking Dead acabar, o que vai ser da Márcia?
Não sei. Acho que nunca mais vou gostar de nada como o WD. À exceção só de Breaking Bad. Mas não acho que se possam comparar, são diferentes.

Como achas que será o final da série?
Sinceramente não pensei muito nisso. O Rick pode morrer. A Maggie será uma líder. O Carl outro. Talvez cada um siga o seu caminho. Quanto ao Negan se calhar não morre, não sei ainda. O que vejo por agora são aquelas pequenas pistas que deram no primeiro episódio´.

Quanto tempo achas que duravas junto com o nosso grupo? Ainda estavas viva?
Tenho confiança que sim, aprendo rápido. E aquilo parece um jogo.

Por ultimo, que séries recomendarias? Já falaste em Breaking Bad. Mais alguma?
Game of Thrones. Adoro.


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Doctor Strange - Criticas online

Então, o novo filme da Marvel acabou de sair do forno e já existem uma fila de criticas online. Esta não é a minha opinião (ainda não vi o filme), mas um apanhado do que dizem na Internet. Vejam para onde a balança cai:

O Positivo:

- Os actores, todos, como de esperado pelo seu historico, estiveram muito bem.

- Uma palavra para os efeitos especiais: espectaculares. Vejam-no em 3D.

- O elemento diferente, magia no universo cinematográfico da Marvel (certo, também o fizeram com Thor, mas isto vai muito mais além). Quem apreciar este novo caminho vai gostar e muito.


O Negativo:

- Uma historia de origem que não está à altura de, por exemplo, Batman Begins ou Ironman; verdade, estas também são as melhores. No fundo, podia ser mais bem estruturado



Resumindo: bom, mas não ao nível do melhor.

(Fontes: Chris Stukman; Beyond The Trailer; Shmoesknow)

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

A RESPOSTA - WALKING DEAD - QUEM MORREU? (temporada 7)


Então, a resposta para a maior pergunta da tv foi nos entregue ontem. Quem morreu em Walking Dead?
O grupo que temos vindo a seguir, o nosso grupo de sobreviventes, viu-se capturado, com a garantia de um novo vilão (Negan) que um deles ia morrer.
O episódio foi filmado de maneira sublime, conseguiram esticar o suspense até metade e só aí nos mostrar quem foi, e depois a surpresa das surpresas, mais alguém morre. Sim, foram dois, não uma das personagens principais, mas duas. Embora triste, porque criamos afecto com estas pessoas que nos entram pela casa a dentro todas as semanas, mas satisfeito com a coragem da série, com o cuidado ao fãs na entrega da tal maior, horrível, resposta. Walking Dead, a meu ver, junto com Game Of Thrones, são as duas maiores séries do momento, as melhores, também se pode dizer, e só com momentos como este, que nos agarram ao sofá em arrepios, olhos colados ao ecrã, é que se elevam a um patamar superior. 

AVISO DE SPOILERS:
Então, quem morre é Abraham, que agora que oiço a opinião de outras pessoas, não foi grande surpresa. Era quem olhava Negan olhos nos olhos, era o matulão que alguém como Negan iria querer fazer um exemplo. A surpresa das surpresas foi quando Glen também foi morto. E a série não se conteve, um dos nossos personagens preferidos. Um que nos acompanhada desde a primeira temporada, a sangrar, cara desfeita, um olho fora do orifício ocular; suas ultimas palavras, enquanto todo desfeito: "eu encontro-te Maggie". Poderoso. O episódio não se ficou por aí, Negan quebrou Rick como quem faz com um animal selvagem, quase o obrigou a cortar o braço do filho - wow. Tudo isto num episódio compactado de suspense. 


terça-feira, 11 de outubro de 2016

Iron Fist teaser - Geek Azores opinião.

Daredeavil; Jessica Jones; Luke Cage; e agora: Iron Fist. Estes são os Defenders, uma equipa, tipo Avengers, que suja as mãos nas ruas de Nova Iorque para limpar o lixo criminoso.
A qualidade da Netflix já é inegável, dá-nos boas séries para todos e ao mesmo tempo serve os que gostam de super-heróis.
O teaser (de optima qualidade, tanto visual, como edição), mostra-nos que a série segue a linha já  traçada pelos seus antecessores, realismo e violência - dentro de um mundo ficticio. Todas estas séries parecem passar dentro do mesmo mundo, como devem, mas dão-nos um pequeno algo diferente que as distingue, em Iron Fist parece ser a sua influencia oriental.

Power Rangers teaser - Geek Azores, opinião.

O veredicto: surpreendentemente melhor do que se esperava.
Vamos ser sinceros, os Power Rangers  tem o seu próprio e especial grupo de fãs, foi por isso com cepticismo que o resto do mundo encarou a noticia de um reboot. O teaser em si mostra, pelo menos, uma aposta forte em qualidade cinematográfica, é visualmente apelativo. Assim que o vi, houve um pensamento que me veio logo à cabeça: Chronicle. E é engraçado, gostava de saber o que Max Landis pensa sobre o assunto, já que, por uns tempos, esteve associado a este projecto e por ter escrito Chronicle. Houve depois um consenso na internet: há um ar de Breakfast Club. E concordo.
Gostei como eles ganham poderes, mesmo não estando fardados. O que pode falhar aqui são os efeitos especiais (ainda por revelar) e o drama adolescente que Hollyhood nos tenta fazer engolir desde Twilight. Se conseguirem controlar estes dois aspectos, acho que podemos ter nos Power Rangers uma surpresa.

PIRATAS DAS CARAÍBAS trailer - GEEK AZORES opinião

Ok, quando há trabalho, há mesmo trabalho; tenho tido cada vez menos tempo de vir aqui. Ainda assim, tenho estado atento ao que interessa ("geekamente" falando).
Então vamos ter mais um Piratas das Caraíbas, vou confessar-vos que não estou nada entusiasmado por isto, esse Franchise, quando saiu, foi de muito bom (o primeiro filme) para razoável a mau e muito mau; nem me lembro do enredo do ultimo filme, só sei que tinha a Penelupe Cruz. Adiante, o trailer, parece uma cópia do primeiro filme (uma tripulação assombrada, onde Jack Sparrow volta a ser o centro das atenções), um quase reboot, a falta de originalidade é inultrapassável. Espero, para o sucesso deste filme, que o próximo trailer, e toda publicidade, seja melhor. 


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

SNOKE É DARTH MAUL (6 RAZÕES) - Geek Azores.


Darth Maul, um preferido dos fãs, foi nos tirado demasiado cedo, morreu logo no episódio I. Maul foi, no entanto, trazido de volta (é canon) na série Star Wars The Clone Wars, e ainda se encontra vivo, pelo menos, pela altura do Episódio IV, ou um pouco antes.
Isto, associar estas duas personagens, começou como um desejo de um fã e agora é uma teoria, solida, fundamentada em seis razões:

1) O seu Aspecto: o primeiro empecilho para esta teoria é o aspecto de Snoke, um gigante (ou será?) que não se parece nada com Maul. Muitos acreditam que Snoke não tem aquele tamanho (eu incluído), há, por tanto, um efeito de feiticeiro de Oz, por trás da cortina (holograma) deve existir alguém bem diferente.

2) É um sobrevivente: foi cortado a meio, mantido vivo pelo seu ódio e o lado negro da Força; rejeitado pelo seu antigo mestre. Maul é obviamente forte com a Força, ele pode muito bem ter a longevidade para resistir tantos anos.

3) Não é um Sith: a ideologia de Snoke não é a de um Sith tradicional. Kylo Ren (seu aprendiz) é um dark jedi e não um sith, eles (Snoke e Ren) praticam o lado negro da Força, mas não são Sith. Maul na série Rebels, apresentou-se a Ezra: "Sou Maul, antigamente conhecido por Darth", ele aceita a sua condição, foi posto de parte, é um errante com conhecimento do lado negro da Força. Há aqui um paralelo com aquilo que Snoke parece ser.

4) Maul é um mestre: Em Clone Wars ele implementou a regra dos dois com o seu irmão, Savage Opress, onde ele foi o mestre. Na série Rebels, Maul dá ensinamentos a Ezra. Em The Force Awakens Snoke é-nos apresentado como um professor para Ren.

5) Um conquistador: quando reergueu-se, pela altura da guerra dos clones, Maul criou um império do sub-mundo, dominou e uniu as clãs criminosas e até conquistou Mandalore. É, por isso, plausível que tenha conseguido reorganizar as tropas espalhadas do império desfeito e as ter posto sob seu comando.

6) Serviço aos fãs: Maul é talvez o melhor que saiu das prequelas, todos o adoraram e foi com tristeza que o vimos desaparecer logo no seu primeiro filme. Ia ser, por tanto, uma grande prenda se o víssemos voltar ao grande ecrã

Maul não pode só ser Snoke, ele tem de ser Snoke.


(nota: SPOILERS, escrito antes do destino de Maul em Star Wars Rebels)

domingo, 2 de outubro de 2016

STAR WARS REBELS, temporada 3 - CRÍTICA Geek Azores

A animação tem fãs adultos, acho que a minha geração e as posteriores nunca cresceram o suficiente para a largar. Esta é a minha critica a uma série que dá no Disney XD, mais propriamente  ao seu episódio (duplo) de abertura da terceira temporada.
A meu ver, a verdadeira magia desta série está nos seus episódios de abertura e fecho, é aí que eu vejo o meu Star Wars (a grande aventura, acção e historia bem contada que faz parte desta franchise).
É talvez nesta temporada que as personagens mais evoluíram, Ezra salta logo à vista, mais forte, mais focado, mais velho, mais severo. Tem um papel importante que mostra o duelo interior entre a luz e a escuridão. Kanan, de alma partida, pela perda da sua visão, tenta perceber o papel que a Força lhe tem destinado. Eu sei que Sabine também vai ter um arco importante esta temporada, mas isso ainda não teve lugar aqui. É bom voltar a ver Rex de volta à acção.
O episódio é bom, mas não tão bom como o inicio da segunda temporada, talvez porque o aparecimento de Darth Vader foi tão predominante e poderoso, e aqui Thrwan (grande esperança para manter ou até elevar a qualidade da série) tenha sido guardado para dosear por toda a temporada.
Esta temporada tem o potencial para ser a melhor de todas, os heróis estão estabelecidos e ainda a evoluir, e temos um punhado dos melhores vilões da historia de Star Wars (Vader, Maul e Thrwan).

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Miss Peregrine Home for Peculiar Children - CRITICAS online - GEEK AZORES

Tim Burton de volta à boa forma? Este é um filme que têm apelidado de Casa do professor Xavier (X-men). As similaridades são inegáveis, mas existe ainda espaço para dar-nos o seu toque singular; ou não?
Estas são as primeiras criticas online, um apanhado dos vários críticos que já viram o filme.







       



O Positivo:

- Visuais bonitos, um mundo cativante.

- Para os fãs de Tim Burton (realizador) é muito um filme ao seu estilo.


O Negativo:

- Os críticos comparam-no continuadamente a X-Men e Harry Potter para exemplificar como podia ser melhor.

- É mencionado algumas vezes certos pontos onde o filme devia ter focado mais.

- Uma célere e não muito bem usada descrição do mundo. A base da narrativa: mostrar invés de dizer. É nos dito, por todo o filme, como aquele mundo fantasioso funciona.

                                                       (Fontes: Collider Videos; Chris Stukman; Beyond The Trailer)

domingo, 18 de setembro de 2016

Um GEEK também FAZ ANOS - Geek Azores

E chegou a minha vez de ser o centro do universo, ou algo que se pareça. Mais um ano distante da idade que ancorei por dentro; mais um ano.
Foi um dia de pequenos grandes gestos que fazem, por trás de um exterior de pedra, o coração dar uns soluços. Um dia que aldraba-se o cuidado com a alimentação e diz-se adeus à idade anterior, ainda que, acorda-se igual no dia seguinte.
Quero aqui partilhar algumas das minhas prendas (é inegavelmente especial, e todos o sabem desde tenra idade, receber brinquedos):

Colecção completa da Liga da Justiça
Kylo Ren - figura



terça-feira, 13 de setembro de 2016

O ANIVERSÁRIO da minha filha - GEEK AZORES

Em Outros Geeks partilho agora uma pequena geek em formação.
A minha filha fez anos recentemente e eu tive a nada difícil tarefa de ir pelos corredores de brinquedos para lhe escolher algo.
Comprei-lhe a Mulher Maravilha (sua super-heroína favorita), era ela ou o Flash, e com o filme Batman V Superman, foi mais fácil encontrar a primeira. Confesso que ainda pensei ficar com a figura de acção para mim, mas não pude ser egoísta a esse ponto. Eu gosto de super-heróis (se é que já não perceberam ao seguir este blog) e tenho passado para a pequenina esse gosto.
A segunda oferta foi algo que eu já tinha em mente comprar à muito tempo, só não tinha encontrado ainda. Três livros Star Wars para crianças da sua idade (ela adora ler). Já vi os filmes com ela, mas como são legendado, ela faz muitas perguntas. Com os livros eu espero que a historia se torne mais simples e que lhe cative ainda mais (sou um fanboy por Star Wars e é importante para mim conseguir passar-lhe este "bichinho").


quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Underworld Blood Wars - Opinião, Geek Azores


Ainda estão a fazer estes filmes? Foi literalmente o primeiro pensamento que me veio quando vi este trailer.
Eu fui um dos que adorou o primeiro, e viu com um misto de encanto e desapontamento os seguintes. Havia ali (nas sequelas) tanto potencial, faltou-lhes subir um degrau em criatividade tanto na produção como na escrita; por exemplo, o híbrido meio vampiro meio lobisomem: deram-lhe só umas lentes de contacto e cor de pele azul - desleixados. 
O quão maravilhoso foi quando nos apresentaram este mundo, Vampiros contra Lobisomens (é preciso mais?). Mas teve mais, teve uma excelente Kate Beckinsale, uma forte personagem feminina a dar porrada. Esta noticia, este trailer, não recebo já com o mesmo encanto. Há uma mescla de imagens, historia difusa que já não me cativa. É provável que veja, sempre é um mundo visualmente atraente e com acção cativante, mas este trailer, que por si só já mistura imagens dos outros filmes (sugar no sucesso de outros), é confuso, parece já não haver aqui historia. Temo que estes filmes vão pelo mesmo caminho que os de Resident Evil, entretenimento de pouca qualidade.  
No lado positivo, gostei de ver os actores de Game Of Trhones saltarem para aqui - um bónus -, e claro, Kate Beckinsale.  


sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Compra - Wolverine a Origem

E lá fui eu, pela milésima vez, esperançoso, ver se tinha chegado a minha encomenda do super, ultra fixe comic do Batman. Ainda não. 
Tive de me contentar com o prémio de consolação: "Wolverine a Origem, Parte 1 e 2.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Deathstroke no filme Batman? Video - oferta de Ben Affleck

São noticias como esta que nos fazem acabar bem o dia. Ben Affleck divulga video de teste do filme do Batman ou filmagem do filme de Justice League; é tudo ainda muito especulativo, mas é disto que nós geeks vivemos: teorias e especulação.












(desculpem as poucas mensagens, tenho tido muito trabalho, impede-me de vir aqui e fazer o que gosto)

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O que é ser geek?


Um geek torna-se artista ou consume vorazmente entretenimento.
O que nos distingue do resto da população começa bem lá atrás, ainda em criança, por volta da altura que se deixa de acreditar no Pai Natal, quando tomamos consciência que magia não existe. Isso afecta-nos a todos de maneira diferente. Nós geeks percebemos que estamos pregados a viver num só mundo (este):  "Nasci demasiado cedo para explorar as estrelas e demasiado tarde para explorar o mundo".
Não me leve a mal, este mundo tem os seus encantos, o pôr do sol, o mar, as florestas, mas é fechado numa caixinha; um geek não se contenta com o que só existe.
Ser geek é tomar consciência que eu nunca vou ser o escolhido que um dia vai salvar o mundo, que nunca vou ser o capitão de uma nave espacial na galáxia ali ao lado, que nunca vou fazer parte de uma equipa com super-poderes. Sou só um figurante a picar o ponto das oito às cinco numa historia maior que eu, e nem sei quem é o ator principal.
Ser geek é encontrar no cinema um portal para realidades paralelas, é ter numa série de tv os melhores amigos, e é ser o herói, que sonhámos de olhos acordados, num video-jogo. É dizer obrigado por me mostrares isto, mas eu tenho um lugar melhor para estar.
Um geek torna-se pai e de repente há como reviver, ainda que pelos olhos de outro, a magia; porém, o relógio começa a contagem e também  ela, tua filha, vai um dia cair em consciência - pobre menina.
Onde está o meu sabre de luz ou a escola onde vou aprender feitiçaria? Geeks: crianças presas num corpo a envelhecer.



domingo, 7 de agosto de 2016

Batmobile na geek cave.

A geek cave (conhecida também como escritório) ficou mais rica ao ganhar esta replica do Batmobile de 1989.
Para um coleccionador de coisas que o ligam com o passado, como sou, mas que não pode comprar tudo o que quer, escolhi esta miniatura que já vinha a admirar à algum tempo. 
Linda, fica muito bem na minha prateleira de temática Batman. 

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Suicide Squad - criticas online.

Desde a sua pré-produção, este tem sido um dos meus filmes mais antecipados; o mais, aliás, de 2016. As razões são várias: gostei do filme de animação da Suicide Squad, é a primeira vez que vamos ver a Harley Quinn no grande ecrã, um novo actor por trás do sorriso do Joker.
Vou fazer isto como costumo, transmito a vocês o apanhado das criticas online (esta não é a minha opinião, ainda não o vi).


O Positivo: 

- Margoe Robbie esteve bem como Harley Quinn (uma amalgama das várias Harleys que tivemos ao longo dos anos, desde a divertida e apaixonada ajudante do Joker à sexy e independente Harley).

- Will Smith de volta à boa forma.

- A química e o trás para a frente entre os actores.

- O filme é divertido, no sentido que junta bem humor com acção.

O Negativo: 

- Existem problemas de narrativa, quer por excesso de simplicidade ou de ritmo (saltar entre flashbacks e o contemporâneo). Um trabalho lastimoso na edição.

- A actuação de Jered Leto, o novo Joker, peca por ser curta.

- Uma acção desmiolada, emprega pouco risco às personagens principais. 



Resumindo: Um filme divertido que aposta pouco no conteúdo. 


(fontes: Mr Sunday Movies; Jeremy Janhs; Jonh Campea; Chris Stukman; Beyond The Trailer) 

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Batman The Killing Joke - Critica - Geek Azores

Batman The Killing Joke é a adaptação do graphic novel escrito por Alan More.
Sanidade VS loucura: a  ideologia de Batman é posta à prova quando Joker, numa das suas versões mais doentias, vai atrás dos seus cumplices e amigos mais queridos. O Joker quer provar que todos podem ser como ele, que o mundo sã e ele estão só à distância de um mau dia.
O filme começa, por decisão criativa, em aprofundar mais na personagem de Batgirl para criar um maior impacto no que vai acontecer a Barbara Gordon. Embora eu aprecie esta tentativa (é uma boa ideia) torna-se uma parte da historia demasiado longa (já que nem está no livro), quase parece uma curta metragem dentro de outro filme. Tinha servido melhor num DC Show Case como aconteceu com Catwoman e Gren Arrow.
O sub-enredo do romance entre Batman e Batgirl não troce nada à historia e por pouco não tirava.
Mark Hammil e Kevin Conroy (que já dão voz a Batman e Joker à muito tempo, e são os melhores) têm aqui actuações solidas, mas faltou-lhes, quanto a mim, mais energia (algo que talvez se veio a perder com a idade) e uma melhor pausa dramática para fazer ênfase em algumas falas. Numa cena num flashback - e atenção a pequenos spoilers-, morre a mulher do homem que se acredita vir a tornar o Joker, e ele aceita a noticia quase sem emoção (ah, isto aconteceu e agora já não preciso fazer o assalto, a vida continua); no livro ele desconcerta-se na mesa do bar quando os criminosos vão embora.
A animação, a nível visual, podia ter sido feita com mais cuidado, merecia e devia estar ao nível do melhor da DC. Algo que me incomodou bastante foi o visual do Batman, as orelhas pareciam coladas à cabeça, por outro lado o fato de Batgirl ficou muito bem. A acção foi bem conseguida e foi, apesar de tudo, muito bom ver e ouvir algumas das imagens que nos ficaram na memoria.
Resumindo: apesar do meu escape de eleição ser o cinema, eu tenho de recomendar que vejam primeiro o graphic novel, é superior, os painéis têm melhor arte e existe muito mais emoção e drama. Não é a melhor adaptação da DC, não está, por exemplo, ao nível de um Dark Night Returns, mas ainda assim é algo a ser visto.

Nota: 5/10


segunda-feira, 25 de julho de 2016

Os grandes trailers do comic-con

Boas, geeks.
Fora os que já mencionei em mensagens anteriores, estes são os trailers, saídos de comic-con, que mais me interessaram:











sábado, 23 de julho de 2016

Trailers de Justice League e Wonder Woman (Eu adoro Comic-con!)

Eu estou tão contente que me estão a vir as lágrimas aos olhos; apetece-me gritar. Está aqui, está finalmente aqui. 
Ontem, com o poster de Wonder Woman, eu pensei que as novidades ficariam por aqui, mas não, a verdadeira prenda chegou, o trailer. Adorei-o, ela, a actriz é linda, consegue otimas expressões faciais, mostram alguém forte e ao mesmo tempo curioso e não familiarizada com o mundo dos homens. Mas a acção, eu não estava nada à espera daquele estilo "slowmotion" e imagens dignas de um quadro, é como se a realizadora estivesse a tirar notas de Zack Sneider (visualmente os seus filmes são lindos). Faz-me lembrar de 300, mas com algo mais, existe humor e uma ferocidade, a acção é de se lhe tirar o chapéu. Estou tão entusiasmado por este filme.
Agora, a equipa dos mais poderosos super-herois dos comics, Justice Legue. Outravez, eu não estava à espera de um trailer, seguimos as noticias, as pequenas e filtradas novidades e pomos o filme sempre lá longe no futuro. A interacção entre as personagens foi o que me agarrou, a personalidade de Flash foi conseguida na perfeição. Ninguém vai mais gozar com Aquaman depois deste filme, wow, a sua presença é enorme, a maneira como as ondas o engolem; cinco estrelas. 
Eu estou mais que entusiasmado por ver estes filmes, eu estou pronto, quero os ver já, tragam-mos. 




sexta-feira, 22 de julho de 2016

Marvel e DC - Novidades - Tv e Cinema.

Sopram-nos ventos de Comicon e o futuro é brilhante. A Marvel está a um passo de conseguir o que já faz no cinema, pegar em heróis que estão nos seus "mundos" e juntá-los numa equipa nova. A DC oferece-nos animação e mostra-nos um lindo poster de Wonder Woman. 

Marvel:



Iron Fist Trailer 


Luke Cage Tailer


The Defenders Trailer




DC Comics:

Poster oficial do novo filme de Wonder Woman


Justice League Action Trailer

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Star Trek - criticas online

Star Trek: ainda um farol para a ficção cientifica. Vamos ver o que os críticos pensam do novo filme.


O Positivo:

- Parece um episódio da série televisiva, o que é bom, é familiar.

- As relações entre as personagens estão estabelecias, os actores encarnam melhor que nunca as suas personagens.

- É divertido, não com humor, não muito, mas como diversão, entretenimento.

- Melhor que Into Darkness.


O Negativo:

- Os  fãs "old school", que têm um problema com esta linha do tempo paralela, não vão ainda, com este filme, mudar de ideias.

- Não existe aqui um tema de grande pensamento filosófico, como nos habituou Star Trek, é mais visual, acção e humor.


Resumindo: Um dos melhores Blockbusters do Verão, até, do melhor entretenimento do ano.



(Fontes: Mr Sunday movies; Shmoesknow; Jonh Campea; IGN)

sábado, 16 de julho de 2016

Star Wars cookies

Um pequeno mimo que  alegra-me o dia, e o estômago. Desde o momento que vi isto, e já lá vai algum tempo, que eu o queria - formas de bolachas star wars. O lanche ou pequeno almoço geek vai melhorar e muito, sim, o sabor das bolachas não se vai alterar, mas se os olhos comem, isto já se adivinha saboroso. 
Quando as fizer mostro-vos aqui como ficaram. 
Cumprimentos geek. 

terça-feira, 12 de julho de 2016

Ghostbusters - criticas online. O pior filme de sempre?

O pior filme que já existiu, diz a Internet antes sequer de o ver, mas será mesmo? As primeiras criticas já circulam online e eu, como com os filmes que me interessam, fiz um apanhado. Às criticas:




O Positivo

- Chris Hemsworth é aparentemente, e para espanto de todos, um optimo actor cómico, a sua personagem destaca-se. Já se diz que ele encontrou o seu estilo.

- O filme, uma comédia, faz o seu trabalho, faz-nos rir.

- Existe química entre a equipa de caça fantasmas.

- A primeira parte do filme é apontada como muito boa.

- Os cameos (que vão ser também mencionados no negativo) foram, para algumas pessoas, do melhor ou mesmo o melhor do filme.

- O 3D, para quem viu assim, está muito bem utilizado.


O Negativo

- O vilão é genérico e pouco interessante.

- Apesar de engraçado, algumas das piadas saem forçadas e não resultam.

- A segunda parte do filme, infelizmente, não consegue se manter ao nível da primeira parte.

- Este reboot não consegue fugir à nostalgia.Os cameos (que também mencionei no positivo) foram, para muitas pessoas, algo que os distraiu e são, segundo dizem, demasiados.


Em resume: Este não é o pior filme de sempre, como se anunciava, é divertido, mas não é brilhante por força de uma segunda parte.



Fontes: Beyond the trailer; Collider Videos; Jawin; Clever movies

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Batman V Superman, versão alargada.

Uma longa e aprazível viagem. 

Este fim de semana vi a tão badalada versão alargada de BVS (Batman V Superman Dawn of Justice).
O veredicto:
Esta versão salva o filme?
Não. Já nada consegue tirar-nos a experiência cinematográfica que este filme, envolto em controvérsia, nos deu. O novelo de criticas começou a crescer quando Ben Afleck foi escolhido para herdar o manto do morcego, e pela altura daquele segundo trailer (cheio de spoilers) o novelo tornou-se gigantesco e emaranhado. A versão original foi uma decepção, tanto para críticos como fãs (na sua maioria).
Esta versão melhora o filme?
Isso sem dúvida. Torna-o substancialmente melhor. Não se trata apenas de acrescentar cenas, de o tornar longo, dá contexto à historia, aprofunda nas personagens. No fundo, temos o filme que devia ter sido visto da primeira vez, que acredito, não teria tido a avalanche de criticas que teve, mesmo não sendo brilhante, é bom o suficiente e tinha criado uma satisfação generalizada. Houve no fundo quatro situações, na minha opinião, em que melhorou bastante:

- A cena de África já se percebe. Percebe-se o trama que levou todos a pensar que Superman pode ter participado num massacre.

- Clark Kent/Superman ganha camadas, mais cenas, mais profundidade. Acho que até o torna no melhor personagem do filme. Vemos, através dele, o dilema de ser-se todo poderoso, mas de não se conseguir estar em todo o lado, salvar alguém aqui significa deixar alguém ao abandono ali. As suas motivações para ir atrás de Batman são também muito melhor exploradas. 

- O sub enredo de Lois Lane, e a própria personagem, ganham mais interesse. 

- O plano maquiavélico de Lex Luthor é muito mais claro e torna-o um melhor vilão. 

Nota: 
Versão original 5/10
Versão Expandida 7/10

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Game of Thrones, na ressaca do final (temporada 6).

Estou em negação, Game of Thrones acabou e não me sinto pronto para continuar a viver a realidade sem o meu escape preferido.
À opinião: o episódio abre com uma fantástica musica, das melhores de toda a série. Naquela cena inicial, do julgamento, percebe-se onde usaram os minutos a mais, tomam o seu tempo em detalhes pequenos, como o vestir dos diferentes trajes. Foi um uso perfeito de cenário, extras e guarda-roupa.
Aquela explosão fez-me levantar os braços e gritar de alegria, só depois percebi que devia haver ali dentro muita gente que eu não gostava. Tommen também morreu, viemos do oito para o oitenta com Jofery e ele; a sua cena, desprovida de musica, foi igualmente poderosa, simples, mas poderosa.
Eu sinto que vamos ter finalmente nesta série de fantasia um "dark Lord" (senhor das trevas) em Circei. Não sei como ela vai travar Dynaeres com o seu vasto exercito e dragões, a não ser talvez manter a capital refém com o wildfire; não esquecer que os Lanisters estão sozinhos, sem alianças.
No norte, Jonh é tornado rei, e aceite, finalmente, por todos como um Stark, só para sabermos que ele afinal é um Targaryan.
Lady Mormont rouba o show sempre que fala - espero que a tragam de volta.
Houve, no entanto, duas alturas que gostei menos: uma foi na cena de Arya e a, bem merecida, vingança. Apesar de querer ver vingado o casamento vermelho, achei que Arya voltou rápido demais, numa série que se arrasta por vezes (como na ultima temporada, por exemplo) demais. Enfim, vou deixar passar e apreciar o que nos foi servido, aos fãs, o prato frio. E também a sua vinda rápido permtiu o efeito surpresa que talvez seria perdido de outra forma. A outra altura foi com Varys, a sua deslocação pelo mundo foi ainda mais célere, personagens que antes levavam vários episódios e até temporadas para se deslocar do ponto A ao ponto B, fazem-no agora em minutos. Acho que o realizador, apesar de nos ter dado um belíssimo final de temporada, não conseguiu transmitir que passaram vários meses.



domingo, 26 de junho de 2016

Dia da Independencia, Ressurgimento - criticas online

Lembro-me de ter faltado a uma festa para ver o primeiro filme; na altura, para quem já gostava muito de cinema como eu, foi uma experiência espectacular, um filme como nada antes visto. Faltar aquela festa foi a melhor decisão que tomei. O dia da Independência foi um dos filmes que me fez apaixonar por cinema. Ele abriu caminho aos blockbusters de hoje e é ainda o melhor disaster movie de sempre.
As criticas online já circula, eis o veredicto:


O Positivo:

- O regresso dos velhos personagens, em especial, Jeff Goldblum.

- Um divertido espectáculo de explosões e destruição, como se esperava.


O Negativo:

- Uma sequela fora de seu tempo. O efeito "UAU" perdeu-se com os anos, já tivemos muitos disaster movies desde então.

- Superlotado de personagens que não colmatam o actor que faz falta: Will Smith.

- Saturado de CGI sem historia para o prender ao realismo

- Cai no cliché das sequelas, mais e maior acaba por não ser melhor.


Em resume: Um perfeito filme pipoca com pouca substancia, mas que ainda assim pode ser divertido. 


(Fontes: Jeremy Jhans; Chris Stukman; Mr Sunday Movies)

terça-feira, 21 de junho de 2016

Batalha dos Bastardos - critica/opinião (SPOILERS)


Vamos lá tirar isto do caminho: a melhor batalha já vista em tv ou cinema, e se não for, está lá em cima ao lado de Lord of The Rings, Braveheart e Saving Private Ryan; não esquecer que isto é tv  (seis milhões de dólares por episódio), não tem o poder de produção de um filme com cem a duzentos milhões de dólares, e no entanto, a magia foi feita.
A Batalha dos Bastardos retratou perfeitamente o caos de estar-se no meio de uma batalha: setas a caírem indiscriminadamente, cavalos desgovernados, homens com ferimentos grotescos, um lutar feio pela sobrevivência. Foi uma linda, feia, dança de morte, terror, lama e sangue. Não existe muito espaço para heroísmo dentro de uma batalha onde exércitos de milhares se chocam, há desespero na cara dos homens, raiva ou medo, emoções que os conduzem por entre espadas e lanças para a vitoria ou morte.
A antecipação por este episódio foi como esperar para ver a final da copa do mundo de futebol, tinha aquele ar desportivo de duas equipas, e nós fãs, habituados a perder, numa série que tem vindo a matar todas as nossas personagens preferidas ou a arrasta-las por destinos de miséria e dor, torcíamos pela equipa Stark. Sabíamos que talvez Little Finger viesse a ajudar com as suas tropas, mas a maneira como tudo foi filmado, o desespero na cara de Jon Snow fez-nos duvidar esse desfecho.
O episódio começa com a batalha em Mereen, que acabou por ser um bónus, esperava-se só a batalha no norte. Os dragões, já totalmente crescidos, mostraram o poder que Daenerys tem, num golpe rápido quebra o impulso do ataque à sua cidade e consegue roubar a armada ao inimigo. A força de Daenerys em conjunto com a inteligência de Tyrion forma um duo poderoso. E quase esqueci os irmãos Greyjoy e a oferta de cem navios.
O resto do episódio passou-se no norte, numa perfeitamente coreografada batalha e na recompensa tão desejada, a conquista de Winterfell e a morte poetica (pelos seus cães) de Ramsey Bolton.
A dimensão deste episódio não fica a dever nada a nenhum filme, é já, por ele só, cinematográfico, há uma perfeita realização, uma otima utilização de recursos e a recompensa é historia televisiva.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Finding Dory - criticas.

Uma sequela que já devia ter existido, mas por uma personagem improvável. As primeiras criticas online já chegaram e eu partilho-as com vocês:

O Positivo: Descansem os mais preocupados, fala-se de uma sequela digna de Finding Nemo (um dos mais  aclamados filmes da Pixar).

Dory, personagem improvável para liderar um filme, porque perde constantemente a sua memória, consegue transportar o filme, ainda que com ajuda de personagens secundárias.

O Negativo: O filme apesar de ser digno do original, não está ao seu nível.

O terceiro acto podia e devia ser melhor.

A imensa dimensão do oceano, conseguida no primeiro filme, perde-se aqui. Parece tudo mais pequeno e as distâncias encurtam-se.


Fontes: Beyond the trailer e Collider Videos.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Palavras (con)sentidas - mais uma aventura literária

Isto não vai acontecer muito, eu fazer uso deste espaço para me promover, mas permitem-me partilhar o meu entusiasmo. Já à muito que faço da escrita um dos meus escapes, adoro, sou transportado para outro lugar, e melhor, um da minha criação; para mim, escrever é ser feliz. Esta é a minha ultima aventura pelo mundo literário, um livro de colectânea de contos, vou estar ao lado de vários escritores de talento, tudo dentro do mesmo livro.
Convido os que tiverem por perto a assistirem ao dia de lançamento, e aos outros, bem, o livro ficará disponível nos sítios do costumo.
Boas criações, geeks.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Injustice: Gods Among Us 2; trailer - curta opinião

Vou ser breve. Injustice deu-nos uma historia que nós fãs queríamos, talvez, ver. Uma optima premissa: e se os nossos heróis se tornassem vilões? Despoletou uma historia em outro mundo; Superman mata, sem consciência disso, a sua amada Lois Lane, obra do príncipe do crime, Joker, que por sua vez é morto quando o homem de aço, movido por vingança e fúria, o mata. Isto criou uma divisão nos heróis da DC, onde muitos se subjugaram a este novo Superman.
Agora, nós temos Injuste 2. O trailer não conta muito, ou nada, só uma cena espectacular de acção, onde alguns membros importantes da Justice League se combatem. O vídeo é digno de ver, enche-nos os olhos. Não existe um claro vencedor, a não ser nós, espectadores - adoro estes vídeos.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Superman vai aparecer em Supergirl

Vá, eu não sou do tipo de dar noticias, isto não é um blogue de noticias, mas existem umas que simplesmente não posso deixar passar; afinal, isto é geek.
Superman, figura central da DC Comics, vai aparecer nos primeiros dois episódios da segunda temporada da série de tv: Supergirl. É uma surpresa. A DC tem tentado evitar - à excepção de Flash -, ter personagens da tv e filmes existirem ao mesmo tempo.
Segundo os responsáveis, o casting já começou, sim, Henry Cavill não vai fazer o salto do grande para o pequeno ecrã. Vamos, por tanto, ter um outro actor e uma versão algo diferente.
Isto talvez até me faça finalmente ver a série.
E vocês geeks, entusiasmados?

Tiago Dutra

A minha foto

Quantas vezes ouvi: "Já não tens idade para isso". E enquanto me tentava encaixar no que julgavam certo, largava o que era certo para mim, uma luz foi-se extinguindo. Foi só quando me aceitei por quem sou: um geek, que abracei a imaturidade dentro do meu corpo já adulto, é que me permiti ficar mais solto, ganhar liberdade, ser mais feliz. 
Eu gosto de comics, adoro cinema, aprecio arte de fantasia, adoro escrever, primeira paixão foi a TV, ainda vejo animação, gosto de historia: meus escapes. 
Ser geek não é usar óculos e ser franzino, esse é o estereotipo, ser geek é viver com paixão aquilo que gostamos; podemos todos ser geeks. 
Dar asas à minha imaginação e criatividade, ser eu mesmo,permitiu-me realizar sonhos: publiquei o livro “Terra Antiga o Duelo”; participei no livro “Contos ao Vento”. Minha primeira experiência na blogosfera: pensamento-indescoberto. Entrei nos Workshops de Pedro Chagas Freitas; tenho também um canal no youtube com o mesmo nome que este blogue.
Posso estar a envelhecer, mas enquanto me deixar ser imaturo, posso também, de uma maneira, ser jovem para sempre.

Geek Azores youtube (videos pessoais geek)
Geek azores blog (assuntos geek, escapes À realidade))